Em que diferem as minas grafite Polymer?

 
 
As minas grafite Polymer foram desenvolvidas no Japão nos anos cinqüenta para criar um lápis que não precisasse ser apontado e que reduzisse o uso de madeira (lapiseira), na época escassa no Japão. Além dessa escassez de materiais, a escrita rebuscada, com caracteres pequenos e ricos em detalhes, gerou a necessidade de grafites cada vez mais finas, como os diâmetros 0,3 mm e 0,5 mm. Atualmente, o diâmetro 0,3 mm é um dos mais utilizados no Japão. O processo convencional de produção das minas grafite utilizando argila não permite a produção de minas com esse diâmetro. Por esse motivo, a mina Polymer é produzida por meio de um processo especial que dispensa o uso da argila como ligante. O resultado é uma mina resistente, macia e composta apenas de grafite. Essa concepção de produto torna possível produzir grafites com um diâmetro menor que 1 mm. Os diâmetros 0.3 mm, 0.5 mm, 0.7 mm, e 0.9 mm tornaram-se um padrão desde então.

 
 
© 1761-2016 Faber-Castell | Última Atualização: 25.09.2012